A importância do exercício para a manutenção da saúde animal

Exercício é tão vital quanto à boa nutrição. Você sabia?

A Natureza de nossos carnívoros domésticos permanece a mesma de seus ancestrais, ou seja,  cães e gatos ainda guardam em seus DNAs a necessidade de correr, de caçar, de se exercitar.

Sem o exercício necessário para manutenção de sua saúde, nossos pets adoecem. Por mais assombroso que pareça, é exatamente o que acontece hoje em dia e o pior, a má nutrição aliada à falta de exercício somente piora as coisas.

São oito as leis da saúde: nutrição, exercício, água, ar, sol, descanso, moderação e fé.

Um pequeno deslize em qualquer uma delas e pronto, lá se vai a qualidade de vida. Faltou sol, vai faltar vitamina D, e o corpo ficará suscetível às doenças relativas à sua deficiência. Faltou água, o organismo desidratado sofre e até a digestão fica prejudicada. E por aí vai…

É compreensível a dificuldade de se estabelecer uma rotina de exercícios diários quando o tutor trabalha longas horas por dia. Agora, isso, em nada muda a natureza de seu cão.

Uma pergunta que sempre faço aos donos de cães é: “por que escolheu ter um cão?”

Essa foi uma escolha pensada, certo? Exercício, portanto, tem que fazer parte do “pacote” e eu vou contar porque.

Para começar, é muito importante manter seu amigão no peso ideal. É vital, para ser mais exata. Veja, não existe, na natureza, cão do mato, lobo, raposa, coiote, onça, hiena e tantos outros carnívoros obesos. Já imaginou um leão com sobrepeso caçando?

Não rola, certo?

Pois bem, não se trata de uma questão estética, nossos bichos não foram feitos para carregar sobrepeso, e quando isso acontece, esteja certo, seus sistemas estão sobrecarregados e uma porta muito perigosa está aberta para entrada de doenças bem desagradáveis, como o diabetes, problemas de fígado e até câncer.

Ainda que o sobrepeso seja um fator alarmante, a oxigenação, especialmente das linfas, é outro fator cruacial, pois ela somente acontece quando o corpo está ativo, digo, em atividade física.

Existem dois sistemas circulatórios no organismo de seu bicho (e no seu também): o sistema sanguíneo e o sistema linfático.

O coração faz circular o sangue. Quando o corpo está em movimento, ocorre o aumento da pressão sanguínea que impulsiona o sangue, fazendo com que ele carregue os pequenos vasos sanguíneos conhecidos como capilares. Esse movimento sanguíneo, faz com que os tecidos associados a esses pequenos capilares absorvam uma grande quantidade de nutrientes, ajudando na remoção de impurezas, em outras palavras, provovendo a “limpeza” de materiais dispensáveis e tóxicos.

O sistema linfático não tem “bombeamento” próprio. Ele depende exclusivamente da atividade física para fazer circular a linfa, ou as águas internas.

Assim como o sangue, quando a linfa (que é riquíssima em proteínas e lipídios) circula bem, ela transporta glóbulos brancos, especialmente os glóbulos de defesa, os linfócitos T. Esse fluxo também promove a limpeza do organismo.

É por isso que o exercício é fundamental.

Não se trata de modismos. Sacou a parada?

Tanto você, quanto o seu pet, precisam desse movimento diário. É preciso dar uma acelerada no coração, suar um pouco, sem exageros (lembre da moderação), mas ainda assim, não dá para ficar parado.

Gosto tanto do assunto que recentemente descobri que a minha schnauzer miniatura precisa de pelo menos 6km por dia de caminhada a passos largos. E trate de se preparar para aumentar a quilometragem se optou por um amigão maior, porque um labrador, por exemplo, precisa de 18km!

Eu acho até que antes mesmo de se adotar um cão, as pessoas tinham que ter uma cartilha básica dessas necessidades. Muitas queixas seriam minimizadas porque cachorro cansado não tem tempo de destruir móveis, sapatos ou utensílios da casa.

E os gatos?

Bem, no Brasil, os gatos que podem viver do lado de fora se exercitam sozinhos, já os de “apartamento”, infelizmente, estão fadados aos infortúnios que a falta de exercício traz. Gatos precisam trepar, escalar, dormir de dia e farrear à noite. Precisam pular alto. Também precisam cansar.

Bicho bom é bicho cansado!

Bicho cansado é bicho física e espiritualmente tranquilo.

Como saber se seu bicho está recebendo exercício adequado?

A língua tem que estar de fora. Esse é o sinal, desde que eles não possuem as mesmas glândulas sudoríparas que a gente, eles precisam estar de língua de fora, pois somente assim estarão “suando” e regulando a temperatura de seus corpos, além de estarem eliminando toxinas.

Gatos transpiram entre as almofadas das patas, canto do queixo, lábios e ânus. Cães também transpiram nas patas e no focinho.

Não se espante se depois de uma longa caminhada seu cão resolver lamber a pata ou mesmo subir a língua até o focinho. Esses são bons sinais. Confie neles!

A importância do exercício para a manutenção da saúde animal
5 (100%) 3 votes