Como identificar e prevenir a obesidade canina

(Last Updated On: 30 de dezembro de 2016)

Uma pesquisa recente indica que mais de 50% dos animais de estimação estão com excesso do peso. Seu cão está nessa estatística? Você acredita que ele se beneficiaria com uma dieta para redução do peso corporal? Se sua resposta é sim, este texto irá auxiliá-lo de maneira correta a identificar e tratar a obesidade canina.

obesidade canina

OBESIDADE CANINA

Para começar, a obesidade canina é diagnosticada medindo-se o peso do animal e avaliando sua composição corporal. Você pode fazer isso examinando o seu cão, palpando as costelas, região lombar, cabeça e cauda. Você deve comparar os resultados com o padrão da raça dele.

Verifique o peso ideal de sua raça e calcule se ele está acima do peso. Ele é considerado com sobrepeso se estiver com 10 a 15% acima do peso ideal para sua raça. Se o seu animal está com excesso de peso é sinal de que ele esta ingerindo mais calorias do que precisa. Mas vamos deixar todas as desculpas de lado e focar nele…

O excesso de peso de um animal é o resultado direto do consumo de quantidades desnecessárias de alimentos. Esse excesso de peso sobrecarrega vários órgãos incluindo o coração e a tireóide podendo causar distúrbios metabólicos.

Investigando as Causas

É preciso fazer uma investigação rigorosa de toda rotina do animal que inclui: frequência de exercícios físicos, quantidade e tipo de alimento que está sendo fornecido e outros parâmetros relacionados à quantidade de calorias ingeridas.

Agora, precisamos esclarecer alguns mitos bem comuns sobre a obesidade canina e felina. Cães e gatos saudáveis não precisam necessariamente comer todos os dias. A indústria de alimentos para animais vem há anos impregnando em nossa mente que nossos animais precisam comer o tempo todo e todos os dias, o que o torna um “comedor ansioso”.

Por favor, não tente fazer seu animal comer se ele não estiver com forme. Se você fornecer um alimento de boa qualidade e uma quantidade adequada de água, seu animal de estimação vai comer quando quiser sem sentir fome a todo momento.

Outro mito comum é afirmar que a esterilização/castração é a principal causadora de obesidade. Isso é absolutamente falso. Qualquer animal de estimação, castrado ou não, vai ganhar peso se for alimentado além de suas necessidades energéticas.

O procedimento cirúrgico de esterilização pode até desacelerar o metabolismo do animal e com isso queimar calorias mais lentamente, mas não é isso que promoverá a obesidade canina. É preciso ajustar a quantidade e qualidade de alimentos a essa nova condição. Tenha em mente que a cirurgia não causa o ganho de peso, comer demais sim.

Situações Mais Comuns

Vamos explicar agora quatro situações comuns que nós veterinários encontramos quando estamos diante um cão que está com sobrepeso. Veja se algum destes exemplos lhe soam familiar! As frases com “aspas” são respostas habituais que os donos de animais nos fornecem quando são questionados sobre o excesso de peso deles:

Tipo I: O BELISCADOR

Mas doutora, ela come mal.

Este cão provavelmente tem comida o dia todo e mordisca um pouco de cada vez. No entanto, ao longo de um período de 24 horas, a ingestão total de calorias será excessiva e ele irá ganhar peso. Come mal, hein?

Tipo II: O MENDIGO

Mas doutora, esse safado não vai ficar quieto a não ser que ele receba alguma guloseima e não dorme à noite se eu não der.

O que acontece aqui é que o animal descobriu que quanto mais ruído ele produz, mais será recompensado por esse comportamento. O tutor dá a guloseima para mantê-lo quieto e ele vê a comida como uma recompensa.

Nem preciso dizer que o tutor o está treinando, oferecendo recompensa por seu comportamento. Como seu animal não é bobo ele transforma isso em um jogo divertido, mas sua saúde com certeza irá sofrer as consequências da obesidade.

Tipo III: O BOM CÃO

Mas doutora, ele é um cão tão bom que não queremos que ele fique com fome.

Este animal sofre de obesidade canina porque a forma que seu tutor encontrou de demonstrar afeição por ele, foi através da alimentação. Normalmente cada membro da família oferece algum petisco para esse animal, sem saber se seus familiares estão fazendo a mesma coisa!

É uma atitude compreensível, mas infelizmente para o cão, pode ser um grande problema. Esse tipo de demonstração de afeto deve ser substituído, por exemplo, por uma atividade física e não por alimentação.

Tipo IV: O CÃO GOURMET

Mas doutora, ele simplesmente se recusa a comer comida de verdade.

Neste caso o cão treinou seus tutores para alimentá-lo com guloseimas como pão, frutas, sorvete, biscoitos, etc… Para mim está claro que este cão está escolhendo o que comer e com certeza irá escolher a comida que seus tutores comem.

Por exemplo: Se você oferece esse tipo de escolha a uma criança, ela certamente irá escolher bolos e doces ao invés de legumes, o que traria consequências desastrosas para ela. O cão gourmet geralmente está acima do peso porque ele não está recebendo uma alimentação nutricionalmente adequada para ele.

MAS O QUE FAZER SE MEU CÃO JÁ ESTÁ OBESO?

cachorro obesoA primeira coisa é avaliar a função da glândula tireóide. O Hipotireoidismo é uma doença muito comum em animais com excesso de peso e precisa ser tratada ou suas tentativas de reduzir o peso do seu animal provavelmente falharão.

Mesmo que seu veterinário lhe diga que seu cão não apresenta sinais da doença, peça o exame. Outros exames como perfil metabólico e bioquímico, assim como marcadores de obesidade, também são de extrema importância diagnóstica.

Várias pesquisas científicas afirmam que um cão saudável pode ficar sem comer por até cinco dias, antes que quaisquer efeitos prejudiciais à saúde ocorrem  (as raças muito pequenas são uma exceção). A não ser que exista algum problema de saúde, ficar um dia sem comer não é o fim do mundo.

O que você precisa entender: Fornecer água fresca e uma alimentação com ingredientes de alta qualidade, completa e equilibrada acabarão com os problemas de saciedade dele.

O tratamento da obesidade canina consiste em uma alimentação rica em proteínas e com vegetais de baixo amido até atingir a condição corporal ideal. A carne deve ser a primeira da lista (não se esqueça que cães e gatos são carnívoros). O alimento deve ser fracionado em duas porções ao dia.

Você também pode complementar a dieta com vitaminas, minerais ou ácidos graxos. Apenas tome cuidado com o excesso de suplementos, ok? Sessões de exercício pelo menos 20 min/dia são essenciais para evitar o catabolismo proteico e minimizar as perdas de massa muscular.

_mg_0040x-2_1

Qualquer dieta caseira deve ter seu conteúdo nutricional analisado para evitar desequilíbrios, deficiências ou excessos. Antes da dieta, é preciso determinar o peso ideal que seu animal precisa alcançar.

Depois de calculado, deve-se iniciar um plano alimentar personalizado para a obtenção de uma perda de peso saudável e prazerosa para ele. É claro que todos os petiscos, ou sobras – estão proibidos.

Os primeiros resultados podem ser vistos em apenas 2 semanas. Lembre-se: Se o seu animal pedir petiscos não ceda. Você pode ter um cão Tipo II: O Mendigo, que mesmo estando satisfeito, quer uma guloseima.

Se depois de duas semanas você notar que seu cão perdeu um pouco de peso, pode ter certeza que você está no caminho certo. Mantenha-se firme! Você está quase lá… Se nenhuma perda de peso for obtida, deve-se avaliar através de outros exames se existe algum problema não detectado anteriormente.

Alguns veterinários acreditam que rações com “calorias reduzidas” ou “diet” ou até mesmo “Dietas Sênior” são benéficas para perda de peso em cães. Essas dietas têm níveis restritos de gordura sim, para reduzir as calorias, mas por outro lado eles aumentam os percentuais de carboidratos para não faltar energia.

O problema é que este aumento de carboidratos estimula uma secreção extra de insulina, que faz com que o organismo armazene calorias não utilizadas como gordura. Por isso, existem alguns cães que ganham peso em dietas comerciais “reduzidas em calorias”.

RECOMENDAÇÕES

johnpc-ltd-recommendations1Recomendo uma dieta à base de carnes que é rica em proteínas e que, portanto, não é armazenada como gordura. É preciso ir fazendo ajustes nas quantidades dessa dieta para garantir um menor consumo de calorias sem comprometer as necessidades diárias do seu animal.

Também é muito importante obter a cooperação de todos em restringir a ingestão de petiscos para o cão. Sempre tem alguém na casa que sente pena do animal e acaba fornecendo “algo extra”. Não se esqueça que a maioria dos cães com sobrepeso ou obesos têm um metabolismo lento. Eles não conseguem queimar calorias muito rápido.

Então, o que você está esperando? Ajude seu cão fornecendo uma dieta natural e equilibrada e o ajude a ter uma vida mais longa, a ser magro e mais saudável. Só depende de você, pois é você quem escolhe o que ele irá comer, não seu animal.

Nenhuma dieta para tratamento da obesidade canina ou de outro animal de estimação deve ser feita sem supervisão de um médico veterinário. Caso deseje um acompanhamento nutricional eu posso te ajudar! → Clique aqui

Como identificar e prevenir a obesidade canina
4.4 (88.24%) 17 votes
[wpdevart_facebook_comment/* Para remover esta mensagem, instale e configure o plugin Facebook Comments WordPress (https://wordpress.org/plugins/comments-from-facebook/) em "Plugins > Adicionar Novo" */]